General Mourão: “A esquerda inventou o confronto de um lado só”

O general Hamilton Mourão disse que os crimes da esquerda são muito piores do que as “lacunas de conhecimento” de Eduardo Bolsonaro.

Ele justificou também o silêncio dos militares sobre o novo AI-5 do filho do presidente.

Leia um trecho de seu artigo para o Estadão:

“Muito pior do que eventuais lacunas de conhecimento de quem não viveu os anos 60 e 70 é a desfaçatez dos que tinham perfeita compreensão do que faziam à época servindo a uma ideologia assassina e que seguem hoje mentindo para encobrir os seus enganos.

A esquerda no Brasil, para lá de imaginativa, inventou o confronto de um lado só.

Feroz em atacar um ato autoritário, o AI5, decretado em dezembro de 1968, ela omite o totalitarismo patrocinado do exterior que movia os atentados terroristas que ceifavam vidas brasileiras (…).

Se os militares, da ativa ou da reserva, falassem alguma coisa sobre o AI-5, a esquerda os acusaria de se manifestarem indevidamente sobre assuntos políticos. Mas é rápida em criticá-los por não falarem, incapaz de entender que o seu silêncio é a prova do desejo de pacificação da sociedade a que servem (…).

Cada um pode tachar de infame o que quiser. Mas ninguém pode dizer que não o seja instituir um regime cognominado de presidencialismo de coalizão degenerado em corrupção institucionalizada. A esquerda vê infâmia em palavras dos outros, mas não a enxerga nos próprios atos, como no mensalão e no petrolão.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *