Baixa cobertura vacinal pode levar a 'bomba atômica' de doenças, avalia infectologista