Salvador tem 81% de ocupação de leitos de UTI: ‘Viveremos as piores semanas da pandemia’, diz secretário de Saúde


Aumento da procura por atendimento nas UPAs, 81% dos leitos de UTI ocupados e número de casos subindo. Esse é o cenário da pandemia do novo coronavírus em Salvador, cidade que já registrou 104.732 mil pacientes infectados pela Covid-19 e 3112 óbitos.
A tendência é o aumento desses números, conforme destacou o Secretário Municipal da Saúde (SMS), Leo Prates, em entrevista ao Jornal da Manhã desta sexta-feira (18). Ele acredita que com as festas de final de ano, a doença pode evoluir em todo o estado e prevê a chegada das piores semanas da pandemia.
“Nós viveremos, a partir da semana que vem, as cinco piores semanas da pandemia. O sistema público de saúde está num momento muito mais crítico do que no auge da pandemia, porque eu estou pressionado com outras doenças, com pessoas que não se cuidaram na pandemia, especialmente pessoas com AVC e com infarto”, relatou.
O secretário contou que, na quarta (16) e quinta-feira (17), visitou as UPAs de Salvador para acompanhar o serviço e atendimento à população. No local, ele percebeu que muitas pessoas têm ido às unidades em busca da testagem para viajar para o interior.
“As pessoas acham que testar, basicamente, [depois] você vai chegar lá ver seus parentes e está protegido. Não está protegido. Todo teste, mesmo do PCR, tem uma janela onde há um período da doença. No caso do PCR, por exemplo, é de três dias em que ele não detecta”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *