Seja bem vindo! Salvador, 04 de Maio de 2016
   
Notícias
Publicada em 16 de Setembro de 2013 ás 08:43:16 Share

Sem apoio, Geronimo completa 10 anos na Escadaria do Passo

Na rua de paralelepípedo, um rapaz de camisa do Bahia passa e cumprimenta Geronimo, sentado num dos degraus da escadaria do Passo, no Carmo. "Axé!",  ele responde. O moço segue seu caminho enquanto canta alto o verso "Eu sou negão". Sua voz invade a rua estreita e os turistas baixam suas câmeras para olhar. De onde está, Geronimo completa a canção, falando baixinho: "Meu coração é a liberdade". É assim que é entrevistar Geronimo, 60 anos,  no lugar onde ele faz festa.A toda hora alguém chega para levar uma prosa, e os moradores vão dando bom dia enquanto saem para trabalhar. "Tá vendo a escadaria limpa? Depois que acaba o show, a gente recolhe o lixo todo", Geronimo conta, todo orgulhoso do projeto que realiza.Há dez anos, as noites das terças-feiras (mais precisamente, das 19 às 22 horas) ganharam trilha sonora composta por clássicos da música baiana, interpretados por  Geronimo e sua banda Mont Serrat. No cenário, a escadaria do Passo da Igreja do Santíssimo Sacramento,  baianos e turistas  reúnem-se para dançar.O projeto ganhou o nome de Geronimo - O Pagador de Promessas, graças ao filme O Pagador de Promessas (1961), de Anselmo  Duarte, que imortalizou a escadaria do Passo com a história de Zé do Burro. O rapaz do filme  foi impedido de pagar uma promessa feita para Iansã na igreja de Santa Bárbara.Geronimo explica que a homenagem vai muito além da coincidência do cenário: "Talvez seja o carma de Zé do Burro que ronde por aqui. O filme fala sobre intolerância. O poder  público muitas vezes não olha na minha cara. E olhe, todo mundo diz que é da democracia, mas fale mal que você vê o que acontece. Ficam naquela de 'magoou, magoou', e depois vem a retaliação, pode escrever aí".

Leia Também
Deputado apresenta projeto de lei para substituir 10% de farinha de trigo por fécula de mandioca no pãozinho francês

 (Por Fernanda Dourado) 

“Uma delícia. Adorei o sabor. Com a fécula de mandioca ainda é mais gostoso. Espero que sempre tenha fécula no pão”. O desejo de Maria da Conceição, de 56 anos, pode ser realizado. É que tramita um projeto de lei na Assembleia Legislativa da Bahia que pretende substituir 10% de farinha de trigo por fécula de mandioca no pãozinho francês. De acordo com o autor do projeto de lei, deputado estadual, Eduardo Sales, a substituição tem vários benefícios econômicos, sociais e, claro, também na saúde - já que reduz a quantidade de glúten - uma proteína presente na farinha de trigo – que provoca inflamações no organismo. “A Bahia por exemplo é o terceiro maior produtor de mandioca do país”, afirmou de o deputado estadual, Eduardo Sales. O pão é um dos alimentos mais antigos da humanidade e um dos principais nutrientes nas refeições das famílias baianas. O Pãozinho francês, quentinho e crocante: é difícil resistir... E para quem acredita que o pãozinho vai mudar de gosto, o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia, Manoel Gomes de Mendonça Neto, que aprova a inovação, diz que não sentiu diferença no paladar. “Adorei. Muito gostoso”, disse o secretário. O deputado estadual, Aderbal Caldas, também não sentiu diferença. “Muito gostoso. Ainda vai gerar renda e emprego”, afirmou.  Na Europa, o consumo de pão é maior por questões culturais, mas o Brasil não fica atrás. A Bahia também tem um alto consumo. A população baiana consome mensalmente 650 milhões de pão francês. 30% do consumo é em Salvador. Na Bahia, a mandioca é produzida em grande maioria por produtores da agricultura familiar. ((Vamos colocar imagens do cultivo da mandioca)) Segundo o pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, caso a proposta seja aprovada, o estado deixaria de importar 60 mil toneladas de trigo por ano- uma economia de 20 milhões de dólares no orçamento baiano. “há mais de dez anos este assunto permeia o Brasil. Ao nível de 10% se pode alcançar todas as farinhas de trigo.O Brasil é o segundo maior importador de trigo do mundo. 80% de trigo que o Brasileiro consome é o importado. A gente utilizar a mandioca que é uma cadeia produtiva de todo o Brasil e ter a agricultura familiar os fornecedores dessa matéria-prima. Da raiz da mandioca você extrai seva da mandioca E o pãozinho não emborracha com a fécula de mandioca”, garantiu.

 
Equipe Multidisciplinar nas Escolas Públicas da Bahia

(Por Fernanda Dourado)

A insatisfação com a qualidade do ensino da rede pública no estado foi um dos temas que reuniu na audiência do colegiado de educação profissionais da área.  Hoje vivendo uma crise , o ensino público já foi durante muito tempo a menina dos olhos de muita gente, que sonhava com uma vaga. Mas há alguns anos a imagem da escola pública mudou e os questionamentos sobre o ensino nestas instituições são debatidos constantemente no país. Os problemas são diversos e estão presentes na educação brasileira, especialmente na educação pública. Para debater a importância da Inserção de uma Equipe Multidisciplinar nas Escolas Públicas da Bahia, a comissão de educação da Casa realizou uma audiência pública. De acordo com esta psicóloga e vice - presidente da associação brasileira de psicopedagógico na Bahia, uma equipe multidisciplinar formada por psicopedagogos, assistentes sociais e psicólogos vai contribuir com o projeto político pedagógico de cada estabelecimento de ensino e com os interesses da comunidade escolar.  Segundo os especialistas em educação, as equipes multidisciplinares devem atender aos estudantes dos ensinos fundamental e médio com objetivo de tentar a melhoria do processo de aprendizagem e a mediação das relações entre alunos, professores e toda a comunidade escolar. O debate é para tentar melhorar a qualidade das instituições. De acordo com a presidente da Associação de Pais e alunos das escolas públicas na Bahia, os problemas se arrastam há décadas.

 

 


 

 

 
Plano de saúde é discutido na na Comissão de Direito do Consumidor

(Por Fernanda Dourado)

 De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar, mais de 50 milhões de brasileiros possuem algum plano ou seguro saúde  e, com o aumento do número de usuários, cresce também a quantidade de conflitos entre eles e as operadoras que prestam o serviço. Para  discutir o direito do  Consumidor em relação ao plano de saúde, a Comissão de Defesa do Consumidor reuniu médicos, professores, pesquisadores, juízes, promotores e representantes de operadores de saúde na sala deputado Jairo Azi. De acordo com o presidente do Colegiado, um dos motivos para o debate são queixas registradas no Procon pelo baianos contra os planos de saúde. Do total de reclamações de baianos para a Agência Nacional de Saúde Suplementar, as principais queixaS no ano passado foram: 2.461 são relativas para a cobertura assistencial; 713 aos contratos e regulamentos, e 291 sobre mensalidades e reajustes. Ainda em 2015, conforme a ANS, foram registrados a partir da Bahia 8.439 pedidos de informação, sendo que os mais recorrentes foram sobre cobertura (3.703), contratos e regulamentos (2.848) e mensalidades e reajustes (1.455).  Muitos só conseguem a cobertura de alguns procedimentos médicos entrando com ações na Justiça que forçam planos de saúde a cumprir.  Outro tema abordado foi cancelamento do contrato. De acordo com o representante da Associação de Defesa dos Consumidores da Bahia, Epifânio Nunes, a operadora só pode cancelar em caso de fraude ou quando o consumidor atrasar o pagamento por mais de 60 dias no ano, consecutivos ou não.  Segundo José Antônio pesquisador do Instituto, outro problema na saúde é a diminuição de leitos de obstetrícia no país. Um levantamento do Conselho Federal de Medicina mostrou que a situação ocorre na rede particular. Muitas maternidades mudaram de ramo em busca de lucros.

 

 
Isidório no PDT....

(Por Fernanda Dourado) 

Agora no PDT (depois de migrar do PSB, PSC e Pros), o deputado estadual Sargento Isidório é a aposta do partido. Caciques da ala acreditam que o legislador pode conseguir mais de 300 mil votos na disputa para o Palácio Tomé de Souza. O legislador é famoso pela simpatia, espontaneidade e a escassez de cerimônia ao se falar de assuntos polêmicos. 

 

 
Rosemberg Pinto discorda da Moção de repúdio

(Por Fernanda Dourado) 

O deputado estadual Rosemberg Pinto do PT disse não aprovar a iniciativa da moção de repúdio a ministra de Agricultura Katia Abreu. Segundo ele, o momento político não é apropriado para mais um problema. 

 
Moção de Repúdio a Katia Abreu

(Por Fernanda Dourado)

O ex-gestor da pasta de Agricultura do estado e legislador estadual, Eduardo Sales, já começou a colher assinaturas para moção de repúdio a ministra da Agricultura Katia Abreu que rebaixou a Ceplac. O parlamentar - que conseguiu 63 assinaturas no abaixo-assinado para solicitar concurso público no órgão - disse que vai fazer o mesmo esforço à moção de repúdio. 

 
Rebaixamento da Ceplac causa revolta

(Por Fernanda Dourado)

O ex-secretário de Agriculltura e deputado estadual, Eduardo Salles, não ficou nem um pouco contente com o rebaixamento da Ceplac. Segundo o legislador, a ministra da Agricultura, Katia Abreu, deveria fazer o mesmo que o seu partido PMDB fez, ou seja, deixar o governo federal. Salles alega que a ministra rebaixou a Ceplac de forma ditatorial e que sequer deu importência para os parlamentares baianos - que estiveram com ela - para falar da necessidade de manter órgão. "Arrogante. Ela deveria deixar a pasta e cuidar dos bois", bradou. 

 
Estratégia agora será negociar no varejo, afirma Lula

 Um dia depois de se reunir com o vice-presidente Michel Temer, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu nesta segunda-feira, 28, em São Paulo, que o PMDB deve formalizar na reunião de hoje do partido o desembarque do governo Dilma Rousseff. Segundo Lula, o objetivo agora é negociar com os peemedebistas no varejo para tentar manter o maior número possível de parlamentares da legenda na base do governo. Ele citou seu primeiro ano de mandato, em 2003, quando o PMDB decidiu integrar o governo, mas lideranças de vários Estados se mantiveram na oposição. “Vai acontecer o que aconteceu em 2003 e vamos ter uma espécie de coalizão sem a concordância da direção. Não sei se é possível mas acho que é”, disse o ex-presidente em entrevista a meios de comunicação estrangeiros ontem de manhã em um hotel em São Paulo. Pouco depois da entrevista, Lula embarcou para Brasília acompanhado do presidente do PT, Rui Falcão, com a missão de negociar pessoalmente com os setores do PMDB propensos a manter a fidelidade à Dilma. O objetivo de Lula é minimizar a debandada e evitar que a reunião de hoje do PMDB, na qual o partido decidirá por aclamação o desembarque, sinalize para os demais partidos da base que o impeachment de Dilma se tornou algo inevitável. Aos jornalistas estrangeiros Lula afirmou que os sete ministros do PMDB não entregariam seus cargos, independentemente da decisão da direção. Poucas horas depois, Henrique Eduardo Alves anunciou sua saída da pasta do Turismo. Leia mais no Estadão.