Seja bem vindo! Salvador, 24 de Abril de 2014
   
Notícias
Publicada em 16 de Setembro de 2013 ás 08:43:16 Share

Sem apoio, Geronimo completa 10 anos na Escadaria do Passo

Na rua de paralelepípedo, um rapaz de camisa do Bahia passa e cumprimenta Geronimo, sentado num dos degraus da escadaria do Passo, no Carmo. "Axé!",  ele responde. O moço segue seu caminho enquanto canta alto o verso "Eu sou negão". Sua voz invade a rua estreita e os turistas baixam suas câmeras para olhar. De onde está, Geronimo completa a canção, falando baixinho: "Meu coração é a liberdade". É assim que é entrevistar Geronimo, 60 anos,  no lugar onde ele faz festa.A toda hora alguém chega para levar uma prosa, e os moradores vão dando bom dia enquanto saem para trabalhar. "Tá vendo a escadaria limpa? Depois que acaba o show, a gente recolhe o lixo todo", Geronimo conta, todo orgulhoso do projeto que realiza.Há dez anos, as noites das terças-feiras (mais precisamente, das 19 às 22 horas) ganharam trilha sonora composta por clássicos da música baiana, interpretados por  Geronimo e sua banda Mont Serrat. No cenário, a escadaria do Passo da Igreja do Santíssimo Sacramento,  baianos e turistas  reúnem-se para dançar.O projeto ganhou o nome de Geronimo - O Pagador de Promessas, graças ao filme O Pagador de Promessas (1961), de Anselmo  Duarte, que imortalizou a escadaria do Passo com a história de Zé do Burro. O rapaz do filme  foi impedido de pagar uma promessa feita para Iansã na igreja de Santa Bárbara.Geronimo explica que a homenagem vai muito além da coincidência do cenário: "Talvez seja o carma de Zé do Burro que ronde por aqui. O filme fala sobre intolerância. O poder  público muitas vezes não olha na minha cara. E olhe, todo mundo diz que é da democracia, mas fale mal que você vê o que acontece. Ficam naquela de 'magoou, magoou', e depois vem a retaliação, pode escrever aí".

Leia Também
Propaganda gratuita do PSDB é toda dedicada a Aécio

A propaganda partidária gratuita do PSDB que foi ao ar na noite desta quinta-feira abordou Aécio Neves do início ao fim. Aécio atrelou a própria imagem à do avô, o ex-presidente Tancredo Neves, nos momentos iniciais do programa de dez minutos levado ao ar em cadeia nacional pelo partido. “Meu avô Tancredo fez a mais bem-sucedida construção política já feita no Brasil, que nos permitiu deixar para trás 21 anos de ditadura”, afirmou. 

 
Por causa da greve da PM, Micareta de Feira pode ser adiada

A Micareta de Feira de Santana, prevista para ser realizada de 24 a 27 deste mês, será adiada, caso a greve da Polícia Militar, deflagrada na última terça-feira (15), não termine até as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (17). Esta medida foi tratada na tarde desta quarta-feira (16) durante uma reunião entre representantes de blocos e camarotes, o secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Jailton Batista, e o prefeito José Ronaldo de Carvalho. As informações são do site Acorda Cidade. Segundo o site, José Ronaldo afirmou que uma reunião está marcada para às 10h desta quinta, a qual será definitiva para a tomada de decisão e que o evento não pode ser feito sem a presença da PM. “Não podemos esperar para a última hora para saber se vai acabar ou não essa greve. Isso atrapalha e dificulta o planejamento de uma grade festa. Há uma proposta de transferência para uma nova data e vamos discutir essa mudança. Temos a ideia para junho, mas pode ter outras datas também. A definição total sairá nesta quinta”, disse o prefeito de Feira de Santana. De acordo com a publicação, representando os donos de blocos e camarotes, Eraldo Souza destacou que a festa não pode ser feita sem segurança e afirmou que o entendimento para a outra data deve ser realizado de forma conjunta com todos os setores envolvidos na Micareta. “Uma vida não tem preço. Com o adiamento todos iremos ter prejuízos, mas estamos preocupados com a vida das pessoas. Sem segurança é impossível realizar a festa. Esse é o fator principal. Caso a PM não encerre essa greve hoje, vamos tomar uma decisão junto com a prefeitura para uma nova data. Pra tudo tem jeito, uma solução, o que não podemos é deixar a população em risco”, afirmou.

 
Leur Lomanto Jr. destaca renovação da esperança com lançamento da chapa da oposição
Como um dos articuladores da união dos partidos de oposição na Bahia para as eleições de 2014, o deputado estadual Leur Lomanto Jr. (PMDB), participou do evento de lançamento da chapa do grupo, realizado no Sheraton Hotel, bairro do Campo Grande, em Salvador. Ao lado de demais lideranças, o deputado acompanhou a chegada do pré-candidato a presidência da República, Aécio Neves (PSDB), no aeroporto, de onde partiram juntos para o ato que oficializou Paulo Souto (DEM) para governador, Joaci Góes (PSDB) para vice e Geddel Vieira Lima (PMDB) para o Senado. Leur Lomanto Jr. ressaltou “o grande passo rumo à vitória”, na tentativa de mudar a realidade do estado. Ele compartilhou do discurso dos pré-candidatos, que destacaram “a hora dos baianos renovarem suas esperanças nas urnas, retirando o comando da Bahia das mãos do PT”. “Souto é o melhor nome para o governo, tem honra, ética, sendo um gestor experiente, que se renova e tem firmeza para melhorar a situação da Bahia, que hoje sofre com o aumento da violência, com o descaso na saúde e educação”. Leur Jr. ressalto
 
Valadares compara geração de emprego por Souto e Wagner
As eleições de 2014 serão uma oportunidade para a discussão sobre os projetos de desenvolvimento para a Bahia. No tema geração de emprego e renda, Segundo o presidente do PT de Salvador, Edson Valadares, quando a comparação é feita entre os oito anos de mandato de Paulo Souto e os sete anos e três meses de Jaques Wagner “o placar é uma goleada para o nosso lado. Segundo dados do CAGED/Ministério do Trabalho a Bahia vem batendo recordes consecutivos neste item. Até março deste ano o saldo era de 560 mil de postos de trabalho criados, ou seja, 70% de diferença em relação ao candidato do DEM que teve um saldo de aproximadamente 170.000 vagas”, argumenta o petista. Para Valadares, que é sociólogo com especialidade em planejamento, “estes dados já demonstram que o governo atual aproveitou mais as oportunidades e atraiu mais investimentos para nosso estado. O governador é um grande estadista e tem apostado no desenvolvimento econômico e social. Trouxe para a Bahia empreendimentos de grandes envergaduras, mas não deixou de potencializar as ações dos pequenos negócios e dos produtores rurais através de incentivos, empréstimos e projetos de economia solidária e de inclusão produtiva”.
 
CPI Itinerante: Paulo Azi critica plano de telefonia móvel para a zona rural
Ao presidir a CPI da Telefonia Itinerante realizada nesta quinta-feira, 3, em Feira de Santana, o deputado Paulo Azi (DEM) voltou a criticar o plano de expansão para a telefonia móvel nas zonas rurais do Estado da Bahia. O parlamentar mostrou-se frustrado com as informações prestadas pela operadora Claro, vencedora da licitação para ampliar a cobertura nessas áreas dando conta de que apenas 19 municípios baianos serão contemplados com a expansão do sinal de celular para suas zonas rurais. " Temos mais de 400 municípios e apenas 19 serão beneficiados, sendo que a maioria listada sequer possui zona rural, a exemplo de Salvador e Lauro de Freitas. Isso é um abuso com a Bahia", indignou-se Azi, observando que o processo licitatório da Anatel que deu à Claro o direito cuidar da expansão das zonas rurais da Bahia, Acre, Rondônia e Oeste de São Paulo, pecou pela falta de critérios, fazendo com que as operadoras se preocupem mais com o processo econômico do que com as reais necessidades da população. "Cabe agora à CPI intervir de maneira firme para mudar esse quadro", refletiu. A audiência pública de Feira de Santana aconteceu na Câmara Municipal com a participação dos membros do colegiado, representantes do Ministério Público Estadual, CREA-Ba, PROCON, além de vereadores e da população local. Além da audiência, a CPI montou equipe na Praça Marcos Moraes para checar in loco a qualidade dos serviços, recebendo denúncias sobre as operadoras de telefonia móvel e fixa, recordistas de reclamações nos órgãos de defesa do consumidor. O Procon participou, junto com a equipe da CPI, prestando informações legais e orientando a população.
 
CPI da Telefonia: Expansão da banda larga nas zonas rurais é debatida; Deputados questionam a escolha dos municípios que não têm zona "rural", mas foram inseridos na lista
(Por Fernanda Dourado) O processo licitário a respeito da expansão da banda larga rural no estado da Bahia foi discutido na Comissão Parlamentar de Inquérito – que investiga a qualidade dos serviços de telecomunicações no Estado. Deputados da oposição e situação receberam representantes da Claro - empresa que venceu o leilão feito pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e ficou responsável por implantar as chamadas Estações Rádio Base - que atendam a um raio de até 30 quilômetros das sedes municipais. Uma das dúvidas dos parlamentares é a respeito dos critérios para a escolha das cidades para a implantação do serviço. "Não entendemos qual foi esse critério", bradava o presidente da CPI, deputado Paulo Azi (DEM). De acordo com os representantes, as áreas atendidas apresentadas foram: Salvador, Camaçari, Lauro de Freitas, Simões Filho, Candeias, Cruz das Almas, Santo Amaro, Santo Estevão, São Sebastião do Passé, Irará, São Gonçalo dos Campos, Nazaré, Presidente Tancredo Neves, Conceição de Feira, Madre de Deus, Conceição do Almeida, Terra Nova, Saubara e Pedrão. O relator da CPI, Joseildo Ramos, diz não entender, o por que de cidades como Salvador, Lauro de Freitas e Camaçari estarem entre as dezenove cidades beneficiadas pela expansão rural – já que esses munípios não têm zora rural. O deputado estadual Leur Lomanto (PMDB) ainda solicitou de forma irônica quais os distritos de Salvador receberam os benefícios. De acordo com o representante da Claro, Dax Souza Filho, os critérios foram publicados no processo de licitação da Anatel. Para o deputado estadual Gaban, as reuniões da CPI precisam ser amparadas com o apoio do Ministério Público Estadual e Federal e o Procon – Proteção de Defesa ao Consumidor. O deputado defende também que os representantes da Telefonia sejam convocados e não convidados. As regras da concorrência, determinadas pela Agência Nacional de Telecomunicações, estabelecem que a vencedora tem até 2017 para cobrir 80% das zonas rurais dos municípios que fazem parte do lote adquirido pela empresa, sem especificar as obrigações com cada estado. Segundo a operadora Claro, durante os questionamentos levantados pela comissão, estas localidades consideradas “rurais” serão beneficiadas até junho deste ano com a cobertura do sinal de telefonia para estas áreas.
 
“A lealdade perdeu para a chantagem”, diz Nilo sobre Leão na vice

O deputado Marcelo Nilo (PDT), presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, se disse “traído” depois que o governador Jaques Wagner (PT) deu como certa a ida do deputado federal João Leão (PP) para a vice na chapa majoritária do chefe da Casa Civil, Rui Costa (PT). Com a voz embargada pelo desgaste pela tentativa de se viabilizar, o deputado declarou em entrevista à rádio Tudo FM ter sido “usado para valorizar a vice e quando chegou a hora da onça beber água não tiveram consideração. Se Rui Costa foi leal ao governador ele empatou comigo. A lealdade perdeu para a chantagem e a coerência perdeu para as ofensas. As coisas que Leão dizia sobre Rui Costa são impublicáveis. E o que eu estou dizendo aqui eu disse para o governador. Foi uma decisão pessoal, uma posição de desrespeito”, completou. Nilo chegou a tomar café ontem com o governador e o petista teria garantido que Leão não estava garantido na chapa. Agora, depois de ter sido preterido com o argumento de que o PP tem mais prefeitos na Bahia, mais deputados e mais tempo de TV do que o PDT e Leão uma amizade compatível com a dele, Nilo disparou. “João Leão é o homem do buraco zero, disse que ia botar o metrô para funcionar, que era o pai do PAC. Ele é vendedor de fumaça, como disse o próprio Mário Negromonte. Eu fui agredido porque isso é uma agressão. Eu dei muitas entrevistas defendendo o governador Jaques Wagner. Eu fui preterido porque eu sou leal e não chantagista. Eles foram lá conversar com Eduardo Campos, eu não. Se Lídice, Geddel ou Paulo Souto ganharem, no outro dia eles estão lá. Ele disse que a minha lealdade é igual a de João Leão. O que é isso? Leão mudou de lado não sei quantas vezes. Infelizmente não me consideraram. Se ele tivesse me chamado 60 dias antes e dito: ‘Marcelo, você é de casa vamos deixar eles’, tudo bem… Mas toda vez que eu dizia que ia ser vice ele dizia ‘estou trabalhando por você’”, disse. Questionado sobre o seu voto nas eleições declarou. “Eu só vou decidir quem eu vou apoiar depois da Copa do Mundo, mas vou seguir a decisão do meu partido. Lá em casa, minha mulher e minhas filhas vão votar em Lídice. Agora uma coisa é certa: Eu fui considerado pela oposição. Eu recebi telefonema de Geddel, de Paulo Azi, de Lídice da Mata e de todos os deputados da oposição. Se meu partido decidir apoiar a oposição, se decidir apoiar Lídice, ACM Neto ou Geddel, desta vez eu não veto”, declarou o deputado, que bancou o apoio do PDT ao governo, quando o então pedetista Marcos Medrado queria apoiar a oposição. O pedetista também afirmou ter perdido a admiração política pelo governador Jaques Wagner pela condução do processo. “Política não é isso. Política é consideração. Ontem eu estava tomando café com o governador e ele me disse que Leão não estava decidido. A nossa amizade é curta, de sete anos, mas construída com muita lealdade. O importante é que eu dormi com a cabeça tranquila. Fui desconsiderado não como político, mas como ser humano. O homem Marcelo Nilo que devotou ao governador uma lealdade. Durante a greve, eu duvido que algum deputado colocasse os policiais ou os professores para fora sem derramar uma gota de sangue”, concluiu o deputado que liderou a desocupação dos professores da Assembleia Legislativa Em 2012, ano eleitoral, durante um episódio considerado crucial para a derrota do petista Nelson Pelegrino, à Prefeitura de Salvador.

 
PSL oficializa apoio à candidatura de Rui Costa ao governo
O pré-candidato de Jaques Wagner ao Palácio de Ondina e atual secretário da Casa Civil, Rui Costa, participaram, nesta quarta-feira (19), de almoço com a cúpula do Partido Social Liberal (PSL), em Salvador. No encontro, o PSL firmou apoio à pré-candidatura de Rui para as eleições de 2014. “Este é um ato formal de apoio, mas a nossa aproximação tem uma trajetória percorrida. O que foi feito pela Bahia nos últimos sete anos pode ser visto e comprovado. De uma escola técnica, saltamos para 31, de apenas uma universidade federal, hoje, a Bahia tem cinco. São números que atestam o bom desempenho desse projeto, que continuaremos apoiando. Rui Costa e Otto Alencar [pré-candidato ao Senado] contam com o PSL, que marchará pela vitória”, disse o deputado estadual Nelson Leal (PSL). O deputado delegado Deraldo Damasceno também discursou em nome do partido e de seu presidente estadual, Toninho Olívio. “Conheci a generosidade de Rui e a sua capacidade de administração. Estamos ao lado desse jovem, que veio da Liberdade e vai governar a Bahia”. Outra liderança do partido, o vereador de Salvador José Trindade afirmou que os pré-candidatos da chapa majoritária são os melhores quadros de Jaques Wagner e defendeu que este projeto é de implantação da democracia no estado. “Estamos no caminho certo, a Bahia deu um salto de desenvolvimento e o PSL continuará lutando por mais oportunidades para baianos e baianas”. Durante o encontro, o governador Jaques Wagner fez um resgate sobre a trajetória de Rui Costa, que foi secretário de Relações Institucionais, em 2007, e trabalhou para que o governo conquistasse maioria na Assembleia Legislativa. “Rui trouxe deputados e prefeitos para a base. Na Casa Civil, cuidou de projetos importantes, como a mobilidade urbana em Salvador. A chapa que estamos montando une a experiência e a juventude”, afirmou o governador Wagner.