Pré-candidata à presidência da OAB/Bahia, Alice Cintra, diz que as três últimas gestões mergulharam a entidade no descrédito e ostracismo: “A verdade é que nós advogados nos sentimos orfãos”

 

Alice Cintra é pré-candidatura à presidência da  OAB/Bahia 


Em uma 
entrevista ao programa Momento Imobiliário, a advogada Alice Cintra ressaltou quais são as frentes que a OAB/BA precisa enfrentar para lutar pela  advocacia e sociedade civil.

Precisamos resgatar a dignidade da nossa advocacia. A crise de representatividade está instaurada na classe. Não levanto apenas a minha bandeira, mas a de milhares de colegas que assim como eu, estão insatisfeitos com a postura da nossa OAB frente aos acontecimentos que impactam diretamente não somente a nós, advogados e advogadas, mas também a sociedade civil como um todo”.

 


“A verdade é que nós advogados nos sentimos orfãos”, afirmou Alice Cintra

 

Alice pontuou ainda sobre a defesa das prerrogativas, algo que para a maioria pode ser encarado como privilégio, mas que ela faz duras críticas a este posicionamento.

 

“Prerrogativas não são privilégios e precisamos defender isso. Sem o básico a advocacia não tem como servir a população. Serviços essenciais como atendimento ao advogado; acesso aos julgamentos online sem necessidade de autorização prévia; abertura e acesso aos fóruns e tribunais; instalação de salas com apoio institucional em todos as unidades judiciárias da capital e dos interiores; criação de um grupo de advogados que ficarão responsáveis por realizar as representações contra magistrados e servidores aos órgãos responsáveis. São alguns exemplos do que a OAB pode fazer para garantir as prerrogativas e melhorar as condições de trabalho da classe”.

 

Para finalizar o bate papo, quando questionada sobre a motivação da pré-candidatura, Alice foi firme no discurso: Apesar do discurso de independência do grupo que ascendeu ao poder em 2012 e é até hoje comandado por Luiz Viana Queiroz, o que vemos é que as últimas 3 gestões mergulharam a OAB BAHIA no mais completo descrédito e ostracismo. A atual direção da OAB seção BAHIA tem tudo menos independência, pois tem agido mais como um apêndice do poder judiciário, do que com a defesa dos interesses da categoria. A verdade é que nós advogados nos sentimos orfãos.”, finalizou.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RSS
Follow by Email